10 de ago de 2011

Sabor



Seus olhos me espiam
E expiam
Os meus pecados

Diante de você sou santo
E pecador
E sinto a dor
De um sabor
Que não devia haver na dor

Não entendo essa coisa que trazes contigo,
Impregnada na sua pele
Não entendo e não sei o que seja

Talvez veneno
Talvez qualquer desses sabores exóticos
Porque é visivelmente deliciosa
Essa substância invisível
Que você deixa manchada
Na pele de quem te toca

Vê se te toca
Vê se me toca
E vem morar em minha toca!


Julho de 2011 

Um comentário:

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?