30 de mai de 2011

Moleca...





Janela aberta, sua imagem nela, letras loucas e loquazes dançando ciranda nas minhas vistas. Por um minuto sua imagem parece piscar pra mim. Não como as janelas piscam, eletronicamente; mas de verdade, como as pessoas – que as piscadas da gente carregam mais coisas do que a gente pensa. Você, na janela, parece piscar...

Mais que piscar! Parece que de repente vai dançar, remexer-se na minha frente, provocadora. Pegar meu braço e me obrigar a subir num prédio, num palco, num galho de árvore, na lua... Pra dançar com você, sendo assistido por todas as estrelas do universo. Elas rindo de simpatia, com aquele sorriso que eu reconheço, porque parece com o seu. Você roubou o sorriso de uma estrela, assim, como quem rouba goiaba na casa do vizinho... Moleque!

Moleque! É isso, molecagem pura! Seu sorriso não nega, nega! É justamente isso que você é: moleque! Moleque no ápice do processo de molecamento. Sim, um quadro de molecagem: independente, falante, atrevida e... persuasiva! Matreiramente persuasiva! Arrasta qualquer um ao seu templo. Capaz de converter à sacra-molecagem qualquer membro de seitas frívolas, sisudas ou absolutamente carrancudas... Sim, minha linda amiga, não faça essa cara! É isso mesmo que você é: moleque!

Vejo isso em seus olhos, parados na imagem, e nas suas palavras ainda vivas que bailam na minha janela aberta. Sinto que serei arrebatado por uma mão delicada que me puxará de repente, saindo dessa plana superfície eletrônica e me arrastará para alguma rua qualquer, dessas sem asfalto, povoada por moleques... O céu, lembra-se? Exatamente, o céu!

Bonitos, felizes e despreocupadamente sujos de poeira, vamos descobrindo que não há nada mais eterno na vida que um coração moleque...

Fernando Lago – Maio de 2011 

26 de mai de 2011

Pílulas de Farinha




Texto publicado no Jornal Independente

Tenho saudades da época em que citações literárias e divagações poéticas diziam muito sobre uma pessoa. Uma amiga minha de São Paulo, a Flávia Queiroz (@flahqueiroz) costuma ser muito ácida com relação às exaustivas frases citadas em demasia nas redes sociais. Em específico, as de Caio Fernando Abreu e de Clarice Lispector. Flávia diz que se criou um processo de coelhização destes autores: as pessoas usam as suas frases sem conhecer o contexto, como pequenas pílulas de autoajuda.

Confesso que foi através de excetos de alguns textos que conheci muitos autores que hoje admiro. Não os abomino indiscriminadamente, sendo, inclusive, um praticante da arte (arte?) de citar frases de célebres escritores. No entanto, concordo com a Flávia. A repetição exagerada de frases isoladas, mesmo célebres, tende a torná-las tão banais quanto um “eu te amo” de menina lasciva. Perdem o significado e tornam-se realmente pílulas sem efeito, vazias, como aqueles remédios pra emagrecer que fizeram muito sucesso há alguns anos e, de repente, descobriu-se que eram feitos de farinha.

Retomo o que eu disse, agora com mais convicção: Sou um praticante da arte de citar. E vejam que agora digo com certeza: uma arte! Porque citações não se sustentam sozinhas. Precisam ser entendidas a partir de um contexto pessoal. O que me leva a citar isso? A que sensações me rendo ao fazer uso da palavra que uma pessoa escreveu há cinco, dez, quinze, cem anos? Que sensações quero provocar ao divulga-las? E o que eu conheço sobre o autor que a disse, quando a disse e por que a disse?

No âmbito científico as citações são muito importantes para fundamentar o desenvolvimento da teoria a que pretendemos defender. Dificilmente uma banca avaliadora vai aceitar um trabalho que não traga no seu arcabouço alguns outros trabalhos já construídos sobre a temática. A teoria do conhecimento não entende uma construção de saberes que não parta de outros saberes já construídos. É preciso, portanto, organizar, na medida do possível, os conhecimentos já sistematizados num sentido geral sobre a matéria estudada para, a partir deles e da vivência no campo de pesquisa, construa-se novos conhecimentos, que suscitarão novas pesquisas, que suscitarão novos conhecimentos, e assim por diante.

Admitir a genialidade de um escritor através de citações é muito bom e fico feliz quando vejo uma pessoa com uma grande bagagem literária. No entanto, essas citações devem ser feitas com o objetivo de que os outros também conheçam essa genialidade, admitindo-a. E não de maneira a obriga-los a decorar coercitivamente, pela força da repetição, as citações prediletas de determinada pessoa. Poderíamos parafrasear a sabedoria popular dizendo que de frases de efeito os incineradores estão cheios...

Fernando Lago – Maio de 2011 

16 de mai de 2011

Entre Fernandos






Será pecado mortal
 – favor, chama aqui o padre!
Ler os poemas de Álvaro de Campos
E achar que fui eu que escrevi?

Será blasfêmia artística?
Um disparate rimológico?
Respondam, sacerdotes, gurus, pajés da arte moderna,
Será?

Opino, creio que não
Não há de ser um pecado
Achar que são minhas as letras
Que há pouco dançavam no livro
Sensualizando meus olhos

Não, não há pecado!
E ainda se o houver
Não poderão condenar-me

Não, porque o pecado não é meu
É antes do Álvaro de Campos
Que décadas antes do meu nascimento
Adivinhou-me tão bem

Talvez um outro Fernando
Excelente Pessoa
Em alguma dimensão
Ou em dimensão nenhuma
Esteja rindo da minha cara

De tempos em tempos, diz ele,
Nasce um com essa sina
A sina de ser poeta
A sina de ser Fernando
A sina de ser sozinho
Com os consigos de si.

Talvez, Fernando, talvez...

Talvez seja essa a sina
A sua de ser tantos em uma só Pessoa
A minha de afogar-me em meu próprio Lago

Somos fernandos
A mesma reclusão do mundo
A mesma impessoalidade consigo próprio
De diferente, só o alcoolismo
E a genialidade
Coisas nem sempre  inclusas no pacote de fernandices.


Teixeira de Freitas, Janeiro de 2011 

7 de mai de 2011

A primeira vez da carioca

Conversa registrada poucos minutos após a primeira vez da Tammy, que por bênção divina escolheu este mísero poeta para ser o primeiro a concretizar tal ato com ela. Só pra vocês morrerem de inveja, essa é a Tammy:



(01:20) Tammy:
Legal
Gostei da experiência
Foi bom minha primeira vez ter sido com você
xD
(01:21) Fernando Lago -:
pra falar a verdade, foi praticamente minha primeira vez também
foi bom pra você?
(01:22) Tammy:
Ah, foi ótimo
E pra você ?
(01:22) Fernando Lago -:
foi totalmente demais!
(01:23) Tammy:
^^
nhaaaa
(01:23) Fernando Lago -:
tava muito baixa?

(01:24) Tammy:
estava alta e penetrante =)
(01:24) Fernando Lago -:
hahahaha
(01:24) Fernando Lago -:
vc está me excitando
(01:24) Tammy:
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Morri
(01:25) Fernando Lago -:
essa galega é perigosa até de longe!
(01:26) Tammy:
nhaaaa
(01:26) Tammy:
Mas você estava tímido no início, mas depois pegou firme
se bem que durou pouquinho, né
(01:27) Fernando Lago -:
é... mas eu vou me aperfeiçoando
na próxima a gente demora mais e eu vou conseguir te satisfazer
(01:28) Tammy:
Que bom !!
(01:29) Fernando Lago -:
embora tema que isso seja uma coisa difícil, né
hahaha
(01:30) Tammy:
hauhahahuauha
Ah, nem tantoo



Alguns minutos antes...



(01:05) Tammy:
Amore, vc tem Skype ?
(01:06) Fernando Lago -:
Tenho, quase não entro, mas tenho
(01:06) Tammy:
ebaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
me adc lá
(01:07) Fernando Lago -:
=D
(01:10) Fernando Lago -:
só não posso falar porque o povo tá tudo dormindo
hahaha
(01:10) Tammy:
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Então num tem graça
(01:11) Tammy:
Eu queria ouvir teu sotaque
=D
(01:11) Fernando Lago -:
vou fingir que to atendendo o celular
peraí
(01:11) Tammy:
kkkkkk
Se eu falar, vai atrapalhar ?
(01:11) Fernando Lago -:
não
(01:12) Tammy:
quer qe eu fale oqe?
(01:12) Fernando Lago -:
fala "pasquale"
hahaha
(01:12) Tammy:
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
(Ela fala no áudio: "pashcoalee")
(01:12) Fernando Lago -:
que linda!
kkkk

(eu falo alguma coisa com meu sotaque meio-baiano)
(01:16) Tammy:
aaaaaaaaaaaaaaaaaaadorei
(01:17) Fernando Lago -:
que voz lindaaaa
=)
(01:17) Tammy:
a sua é sedutoramente sedutora
adooooooooooro
(01:19) Fernando Lago -:
kkkkkk
(01:19) Fernando Lago -:
então, se um dia eu te encontrar, vou só falar no seu ouvidinho
hahaha (e botar um saco de pão na cabeça)
(01:20) Tammy:
hauhauauhauhuaha
Legal
Gostei da experiência
(01:20) Tammy:
Foi bom minha primeira vez ter sido com você
xD

Viram? Isto foi só a Tammy e eu usando o Skype pela primeira vez!
Ah, essa galega... ♥♥♥