5 de set de 2011

τρία



O número 3, segundo tradições milenares, familiares e wikipediais, tem uma grande importância mística, simbolizando união e equilíbrio. Procês terem ideia, o danado do número aparece na Santíssima Trindade, sendo de suma importância pros cristãos, representando o conselho máximo deliberativo das decisões divinas; na política temos os três poderes (jurídico, executivo, legislativo), símbolo da perfeição que é o sistema democrático (haha). Aliás, se não tiver pelo menos três pessoas pra tomar uma decisão, aí fudeu a democracia! Porque vai dar sempre empate. Até numa discussão, se você precisa de uma segunda opinião, precisa também de uma terceira pessoa.

O três também é usado como pedido de socorro. De acordo com os meus conhecimentos (wikipedia.org), para se pedir socorro no deserto ou em alguma outra região, basta fazer três fogueiras, porque três é um código mundial. Enfim, se você tiver num deserto, faça três fogueiras que alguma coisa muito legal vai acontecer.

O três também é conhecido sexualmente na prática de ménage à trois. Mas não tenho certeza se essa informação é pertinente.

Três Mosqueteiros, Três Porquinhos, Três Marias, os três anos de estágio probatório do servidor concursado... Enfim, o três é um must. Pra desbanca-lo mesmo, só o sete. Mas a gente chega lá.

Você deve se estar perguntando por que diabos estou falando com tamanho misticismo sobre esse número primo. É que hoje, 05 de Setembro de 2011, completa-se um ciclo de três anos da existência deste espaço de inconfidências, e achei que seria legal saber um pouco mais sobre a simbologia que carrega este numerozinho.

Mas, por outro lado, quantos números que são trazidos no bojo destes três anos!
Veja bem, são três anos com doze meses cada um, isto é, 36 meses. Isto deve dar uns 1095 dias (calculadora, pra que te quero!), no ar vinte e quatro horas por dia graças à tecnologia dessa coisa de internet que não parece de Deus, estamos acesos há mais ou menos 26.280 horas! O que isso importa? 

Não sei, só deu vontade de dizer.

São três anos, 222 postagens, 10.533 visualizações, 478 comentários publicados, vários xingamentos não publicados, pessoas do mundo todo se encontrado na beira deste lago tão pobre e tão poluído pelas suas próprias águas...

Enfim... Não irei aqui relatar os insucessos que me levaram a criar este espaço. Já fiz isso antes, e já o fiz mais de uma vez. Só vou dizer que estou muito feliz de estar aqui com vocês. Espero que possamos continuar aqui por muitos anos mais, juntos sempre nessa alegria de viver, eu aqui no meu velho e querido banco e vocês aí, porque... Meus advogados me advertiram que não tenho caixa para responder processo por plágios. Enfim!

Pra finalizar, selecionei uns dois ou três pares de frases veiculadas neste blog através dos meus rabiscos inconsequentes, pra posar de pensador e fazer parecer que saiu alguma coisa que preste daqui ao longo destes três anos. Enjoy!

Pois é, você pediu que eu me descrevesse e acho que minhas palavras me denunciam: sou indescritível. (Outubro de 2010)

Nasci bonito, a sociedade é que me corrompeu. (Março de 2011)

É que na verdade gosto de ser inexplicável. Só se é explicado o que está pronto, e eu mudo a cada minuto. (Janeiro de 2010)

...somos jovens! Podemos nos dar ao luxo de mudar de opinião de um dia pro outro! (Abril de 2011)

Já amanhece, eu sei. O mundo acorda, a gente adormece (Maio de 2010)

...roubou o sorriso de uma estrela, assim, como quem rouba goiaba na casa do vizinho...  (Maio de 2011)

Na grande peça da vida, meus papeis são todos curtos. (Março de 2011)

...vejam só que absurdo. Qualquer um hoje em dia pode se tornar adulto! (Novembro de 2010)

Recusei-me a puxar o estrato de todos os meus atos nestas duas décadas de vida. Não seria agradável verificar que estou em déficit comigo mesmo. (Novembro de 2008)

A gente tenta guiar os humanos para o caminho certo, mas alguns não têm jeito mesmo. (Janeiro de 2010)

Que posso eu fazer? Cresci no meio de seres humanos. Deu no que deu: virei um também. (Março de 2011)

O menino cultiva amores. Tem uma criação de afetos em seu quintal. Mas afeto é bicho de asa. Logo cresce, sai voando. (Novembro de 2010)

Enfim, lamento por ter lamentado tanto quando eu podia agir que agora nada me resta a não ser lamentar. (Outubro de 2008)

Setembro de 2011

2 comentários:

  1. Então, três beijinhos para comemorar tudo o que tenha sido, e tudo que poderá ser esse bendito lago!
    (mergulhando de cabeça)
    inté

    ResponderExcluir
  2. três anos de letras e mais letras, pensou se isso tudo estivesse aprisionado ai dentro de ti?? Vc seria esmagado e a gente perderia a chance de ler letras tão geniais!

    Amo tu!

    ResponderExcluir

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?