10 de nov de 2012

Leve Ana

Para Ana Luiza Benjamim 


Imagem: http://fama.zupi.com.br/juvioleta


Ana
Teu corpo encana
O fluido que te faz insana
Tua alma é leve, Ana
E leviana é a desquerência
Dos que não te amam

Leve, Ana
Para longe de ti
Todo o mal que ecoa

Ana, à toa
Fazes-me rir
E no devir
Pensar num mundo que vai surgir
Do seu sorriso-luz

Ana Luiza
Tu exorcizas
Todos os males
da sobriedade
Na sua busca
Pela verdade
Já não vem tarde
O seu sorriso
Sem juízo, Ana

Ana
Muda, Ana
A paisagem mundana
Com seu olhar
De limpidez  
Pois sua loucura
É cura
Para a doença
Incurável
Da lucidez

Fernando Lago - Novembro de 2012 

2 comentários:

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?