5 de fev de 2013

Você, tão menina



ADVERTÊNCIA

Há algum tempo atrás eu postei neste mesmo humilde, modesto e lindíssimo blog uma poesia-música que até então estava incompleta. Não muito tempo depois eu consegui terminar a segunda parte, mas não cumpri a promessa de postá-la aqui. Hoje, anos depois, venho agora quitar minha dívida com minha meia dúzia de leitores, que com toda certeza nem lembram mais de mim. 

Você, tão menina


Você
Tão menina
Malina, tanto desafina o meu coração
Beleza felina
Maquina tanta coisa fina pra minha paixão

Tão bem
Quanto voar
É me por à sua frente para te admirar
Teu ar
Me oxigenar
Parar, te ter na mente, comigo levar

Rosto, rastro, pasto exposto
Um trovoar de trovador
Posto, casto, parto, porto
Marina lá, o cais do amor

Você
Tão pequena
Morena, musa mais serena do versificar
Teu riso envenena
Acena e eu faço a minha cena pra te conquistar

Tão bom quanto sonhar
Levar teu rosto à lente desse meu olhar
Sorrir a te mimar
Calar pra ver se sente o que tento falar

Fundo, findo, vindo, afundo
Meus versos são pra te cantar
Mundo lindo, brindo, inundo
Chuva de amor pra te banhar

Rosto casto, vasto encosto
Musa serena do versar
Mundo findo indo a fundo
Na mente, comigo levar...

Fernando Lago – Junho/Julho de 2010
                               

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?