24 de set de 2016

A menina que amei

Imagem: http://kacka-kopecka.blog.cz

Minha mãos já perceberam
Que você não é mais menina
Passeando, seu corpo estremecido
As mãos vibram na sismografia de Richter

Meus ouvidos, olhos, orelhas
Boca e pernas e dentes
Todo o meu corpo, enfim
Percebe que não, você
Não é mais a menina que amei

Confesso, senti uma saudade
Te imaginando menina
Te imaginando inocente
Confesso, sorri de encanto
Do encanto que me fazia
O riso em cova que havia
A sua doçura pueril
Dos seus cabelos em cachos
Confesso, senti essas faltas

Minhas mãos, meus olhos, meu corpo 
Já sentem, você  
Não é mais a menina que eu amei 

Que grande habilidade transformista 
Que mantém a pura essência 
O meu coração é quem sabe 
O tempo passou, passou 
E você não é mais a menina que amei 
Mas é a mulher que eu amo 

(Fernando Lago - 2015) 

Um comentário:

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?