2 de nov de 2008

Vinte anos

"Completei vinte anos. Ou, na linguagem de Rubens Alves, eu já não tenho vinte anos, por que esses já ficaram pra trás."

Vinte Anos! Isso mesmo. Vinte anos!
Vinte anos perdidos, vinte anos de pura autoembromação, ou auto-embromação (com essa tal de reforma ortográfica eu tenho até medo de escrever).
Recusei-me a puxar o estrato de todos os meus atos nestas duas décadas de vida. Não seria agradável verificar que estou em défcite comigo mesmo; que meus atos positivos foram inferiores aos negativos; que minhas vitórias  foram quantitativa e qualitativamente inferiores às minhas derrotas; que minhas conquistas praticamente inexistem; que eu, como pessoa emancipada praticamente inexisto.

Sempre acreditei que Deus tinha me posto no mundo com uma missão. Toda a minha vida foi erroneamente aplicada em descubrir que missão era essa. Todos os meus atos insanos refletiram sempre a minha inquietação de "o que que eu vim fazer no mundo..."

A resposta encontrei-a na fala de um colega que, não gostando de meus atos introspectivos e minha falta de ação proferiu: "Você entrou de gaiato no mundo..." E riu pondo as mãos no estômago. Em vão busquei uma ofensa maior para contra-ofendê-lo, mas conveniei que mais importante era me defender que atacá-lo (menino bom!). Pensei, repensei e não encontrei defesa na hora. Nem depois. Começo a achar que ele tem razão. Entrei de gaiato no mundo...

Toda a minha busca foi, talvez, vã. Sigo agora a buscar minha própria missão. E me deparo com um grande impasse. Já está claro pra mim que preciso mudar, preciso renovar-me prática e teoricamente, preciso deixar de ser assim como sou. E como é ser assim como sou? Sei lá! E aí está o problema: Eu nem mesmo sei quem ou como sou.

Uma amiga disse-me que me conhece bem. Se assim for, talvez conheça-me melhor que eu. Disse-lhe antes que a todos que eu ia mudar, que minha vida não dava pra continuar assim. Sua resposta me fez querer mais do que nunca mudar. Ela disse: Você é um menino bom... Essa frase me deu a decifração do meu problema: eu sou um menino bom. No mundo não há espaço para meninos bons... Falei-lhe claramente que talvez não quisesse mais ser um menino bom. Que esse tinha sido o grande problema de minha vida. E, realmente, meus caros, preciso de uma revolução drástica, quebrar todos os padrões de minha vida, de vivência e convivência, como outrora, uma certa mulher fizera com meus padrões de beleza e de mulher ideal. Essa mudança primária, causada pela presença de uma beleza diferente em minha vida, que revolucionou minhas opiniões acerca da beleza feminina já prova que eu não sou necessáriamente um ser metafísico, que sou capaz de mudar. Que falta-me? Mediação?

O grande impasse no qual me encontro foi também um questionamento de minha amiga. Disse ela: "espero que você não perca a sua essência, impedindo que outras pessoas a conheçam." Ou seja, que faço eu? Revoluciono totalmente a minha vida, como ser dialético que sou? Ou me mantenho como um menino bom, besta e tapado, aguardando que vida me dê uma oportunidade que nunca vem?

Para terminar, reflito uma frase que me veio à mente recentemente, a partir dess história de ser um menino bom e, conseguintemente diferente de todos os outros homems: É que as mulheres vivem reclamando que os homens são iguais, mas quando encontram um que é diferente não são capazes de amá-los...

Não sei por que publiquei este texto. Parece-me ridículo...

Fernando Lago 02 de Novembro de 2008

3 comentários:

  1. Hello!
    It's difficult to write on a blog you don't really understand, but it's the same with you, for example - you don't understand a word on my blog too :) I'm from Greece, i live in greece, and the blog is in greek. But I originally come from russia. Of recently, I have a double nationality..
    sometimes a few words are enough to express what you want - and you are doing alright with it, in english. I want to start learning portuguese, so maybe i should start reading your blog and trying to understand stuff.
    I like the sound of your language, the brasilian portuguese, very much. At one period in the past I was hooked on Astrud Gilberto, Antonio Carlos Jobim, Edu Lobo, mostly those collections with classic bossa-nova cuts. I still like this music, and your language very much.
    I wish i could understand your poetry, to see if i like it. I once wrote little poems myself.. It's really nice when you have the inspiration to write poems. Mine is gone, and I don't know where :) - please keep writing and feeling poetic about this world.

    cheers! :)

    ResponderExcluir
  2. hey.
    i liked your poem.
    the translation is not very good, i agree, but it still has the power and the inspiration a good poem should have.

    incidentally, i have never been to Olympos (that's how they call it in greek). nice to hear that you used it in your poem :)

    good luck, man!

    ResponderExcluir
  3. Oi Nando e ai td bem? .........espero que sim
    interessante e ate msm engraçado por que tambem me identifico com seu modo de pensar.....estou preste a fazer vinte anos e enfrento a mesma situação que você...cansada de ser a " menina boa " kkkk mais a vida tem disso, volta e meia o destino rir de nossa cara kk
    Bjinho fique com DEUS.
    se puder me mandar um email ficarei muito grata monelaudelino@hotmail.com

    ResponderExcluir

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?