1 de nov de 2008

RETALHOS: Poesia de meio dia (e meia)

Poesia de meio dia e meia

Meio dia e meia
                Barriga cheia
                          Da burguesia

                              E aos proletários
                   Que se esforçam
            Todos os dias
                       Pra não ter
                  A mesa vazia
             Se fantasia:
   "Graças ao patrão tu comeste hoje!"

Pesia (samba) do meio dia

Ai quem me dera um jantar
ao meio dia!
Sem ligar
Pro horário que está
A se findar

Ai quem me dera essa pessoa
ao meu lado
Sem ligar
Para os outros
Sem lembrar dum só momento
Em que vivemos separados

Neste samba 
só quero dizer
Que adoraria estar ao lado de você
Minha garota
Eu quero fazer
Você me amar o quanto eu amo você

Fernando Lago Santos - hora do almoço: 15 de Agosto de 2008

Um comentário:

  1. hey. paid a little return visit. yours must be poetry. i always wanted to learn some portuguese, but it's still in the plans for me.

    you know what. 2-3 days ago i found a brasilian coin of 10 centavos in my pocket, got there by chance, somebody mistook it for 10 eurocents or something. it's nice to think about old little coins travelling half the world distance and back. of all the things in the world, coins must live the most interesting life, changing so many hands.

    congratulations for your site too.

    ResponderExcluir

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?