20 de mai de 2009

O Gênio (Série Piadas Incrementadas)

Ele caminhava por uma praia, a que chamavam deserta, embora nada tivesse de deserta. Só se for deserta de areia, pensou, porque gente era o que não faltava ali. Foi caminhando, caminhando, caminhando, até encontrar, enfim, um lugar efetivamente deserto, isolado de toda aquela multidão, onde só se podia ouvir o barulho do mar.

Estava de férias. O que queria mesmo era ir para Paris, mas seu pavor de avião não lhe permitia a realização de tal desejo. Ah, La belle Paris! De repente, seu pensamento foi cortado por um tropeção que deu num montinho estufado na areia.

 - Quê que é isso? – disse enfiando a mão e tirando de lá uma espécie de bule esquisito como ele nunca tinha visto.

 - Que troço é esse? – disse limpando pra tirar o excesso de terra.

Subitamente uma fumaça verde começou a tomar todo o lugar, saindo de um buraco do objeto, tomando as dimensões de um corpo humano e clareando, até tornar-se efetivamente algo parecido com um ser humano.

 - Opa! Quem é...? Ah! Já sei! Você é um gênio! Cara! Que legal! Quer dizer que eu tenho direito a três pedidos?

 - Êpa! Devagar com o andor, meu amigo! Não é bem assim que o negócio funciona! Em primeiro lugar, eu não sou um gênio; eu sou O Gênio! Entendeu?

 - Anham!

 - Captou?

 - Sim, entendi!

 - E em segundo lugar, de onde é que você tirou essa idéia de três pedidos?

 - Ah, já entendi! Lá vem você! Vai dizer que os tempos mudaram, não sei o quê, bla bla bla e concluir que só tenho direito a um desejo. Ta legal!

 - Deixa eu te explicar uma coisa! Quando eu comecei nesse negócio eu dava sete desejos, porque era o número da perfeição, etc e tal. Mas as coisas mudam, naquela época não existia inflação. Depois de toda essa baderna, crise de 29, Guerra Fria, essas coisas, eu fui só baixando e hoje você tem direito a dois desejos apenas! E vê se pede logo que eu sou um gênio muito ocupado!

 - Tá bom, ta bom, compreendi! Dois desejos está ótimo! Xô pensar...

 - Calma aí, só um pouquinho que o meu celular está vibrando!

O Gênio começa a falar no telefone:

 - Alô! Ô, Pereira! Quanto tempo! Como vai essa força! Fiquei sabendo que ce ta de lâmpada nova, sacana! E aí, ta batendo cartão aonde? New York? Ah, ta na Bolsa agora? Massa! Hein?? Ah, brigadão, Pereira! Vixi quase que eu faço uma besteira! Se você não me liga!

O Gênio vira-se para o cara de cueca:

 - Infelizmente, cuecudo, vamos ter que fazer algumas mudanças no nosso trato.

 - Como assim? Lá vem...

 - É que o meu colega Pereira, ta lá em Nova Iorque e me ligou avisando que o Dólar caiu de novo.

 - De novo! E daí?

 - Daí que com essa queda, você só tem direito a um desejo!

 - Ah, que merda!

 - Pois é, pense bem...

 - Não preciso nem pensar. Já tenho um desejo!

 - Então faz!

O cuecudo arreganhou os dentes:

 - Lá vai: Eu quero que você seja meu escravo para sempre, e de hoje em diante conceda todos os desejos que eu quiser.

Imediatamente uma luz insuportavelmente vermelha começou a piscar na barriga do gênio e ele, com cara de bravo, avançou para o cliente, como se tivesse intenção de esganá-lo.

 - Escuta aqui, espertinho! Você sabe o que é constituição???

 - Sei, eu sou deputado!

 - Ah, é deputado! Isso explica muita coisa! Pois preste atenção, deputado, eu também tenho minha constituição – enfiou a mão num minúsculo bolso na sua peculiar vestimenta e de lá tirou um enorme livro de capa dura, parecido com uma barsa – e nela diz, no artigo 43, inciso V, parágrafo 2º que “nenhum gênio jamais pode servir a um só cliente e a ele não é permitido ceder nenhum desejo a mais do que permite a cota do dólar!!!

 - Tá tá tá tá bom! Eu já entendi! Então é só um mesmo e acabou!

 - É!

 - Tá bom, eu já sei o que eu quero. Eu quero uma ponte rodoviária daqui até Paris!

 - Coméqueé??

 - É, uma ponte daqui até Paris!

 - Você ficou doido!? Quer que eu construa uma ponte daqui até Paris! Não dá pra fazer uma ponte daqui até Paris! Pra quê que você quer uma ponte daqui até Paris?

 - Pra eu ir dirigindo até lá.

 - Mais essa agora! É cada doido! Porque você não vai de avião, de barco?

 - Tenho medo de avião e enjôo com o mar.

 - Ah não! Pode ir pedindo outra coisa! Isso é muito difícil! São milhões de quilômetros de concreto! Sem falar em toda a logística que eu vou ter que mover pra fazer isso. Os impostos, então nem se fala! Ah, não dá não...

 - Mas que espécie de Gênio é você?

 - Da espécie racional!

 - Tá bom, ta bom, então deixa pensar um pouco... Tá bom, já sei! Eu quero que você faça de mim o homem mais bonito do mundo!!!

O Gênio deu um suspiro e falou:

 - Está bem, vou arrumar os papéis...

 - Papéis? De quê, do cirurgião plástico?

 - Não, dos impostos. Em dois meses sua ponte está pronta.

 

Fernando Lago Santos – 21 de Dezembro de 2006. em Piadas Incrementadas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?