6 de jun de 2009

Duas Poesias

Côrte

E disse o Coronel Telles
A Don Rodrigo Montfort
Que essa de se apaixonar
Por mulheres disputadas
Não é pra simples mortais
É pra príncipes ou regentes

Disse isso e é Don
E eu, então, que sou plebeu...

Fernando Lago – 05 de Junho de 2009


Dueto de choro

E eu
Com aquela viola chorona
Só sei dizer coisas doces
Só sei dizer coisa incerta
E certo da minha incerteza
Choro
E chora a minha viola
De poeta sem amor

Dueto de choro é triste
Mas a vida é assim mesmo
Há coisas que não se concertam
E poeta
Poeta com viola em punho
- Viola que chora tanto –
Poeta é pra chorar
Só que chora mais que a viola
Que é bicho presunçoso
E com orgulho ferido
Ela para de chorar
E para de cantar
E para de melodiar

E no silêncio da noite
Ou da manhã inebriante
Chora sozinho o poeta
Sem viola e sem musa
Sem rima e sem prosa
Sem motivo
Sem razão
Chora só por chorar
Porque é poeta chorão.

Fernando Lago Santos – 03 de Junho de 2009

2 comentários:

  1. Linda, linda... Ameiii ...
    E obrigado pelos parebéns...
    Beijãoooo

    ResponderExcluir

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?