5 de set de 2009

"Eu Luto" e "12 de Agosto"

Eu luto

Eu luto é pelo fim do luto

Que a luta não acabe mais

Eu luto e quem comigo luta

Precisa (como eu) de paz


Eu luto por justiça certa

Que o amanhã já vem aí

E trago o canto que desperta

Meu povo pra lutar por si


Eu luto pela vida plena

Por ela muito se morreu

Mas luto de uma luta amena

A causa em nada é pequena

Por ela muito se perdeu

Mas com teimosia serena

Meu povo em luta se cresceu


Eu luto pelo irmão-amigo

Com ele, pra melhor dizer

E quem quiser lutar comigo

Por mim, por outros, por você

Basta deixar o seu umbigo

No mundo há outros contigo

Se erguer o olhar além vai ver


Fernando Lago – 30 de Julho de 2009



12 de Agosto


A coisa está aí

Toda feita

Não se pode reverter?


Ando pelos trilhos do trem

Assoviando uma ária de minha autoria

Que passa todo dia na rádio Americana


Mas em Teixeira de Freitas não há trilhos de trem

Não existem árias de autoria de Fernando Lago

E se existissem

Pouco provavelmente seriam executados numa rádio Americana

E seja lá em que lugar for


Sento no banco da praça

Olho os leões estáticos ao topo daquela pilastra

Carros me olham

Óculos escuros me miram

E as mercadoras modernas me medem de cima abaixo nas portas das lojas


Suspiro biblicamente


Deus!

Que é a falta do que fazer!


Fernando Lago Santos – 12 de Agosto de 2009


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?