15 de out de 2009

Comentário de Âncora

Comentário de Âncora

Que me perdoem os meus amigos jornalistas

Andava outro dia pelas avenidas de minha vida, pedalando minha bicicleta – companheira de muitas batalhas quilométricas – quando no meio da descida da ladeira cai-me a corrente da magrela. Fato cômico para muitos – quase todos, menos a vítima da situação, que no caso era eu. Muito calmamente desci da calanga, aprumei a corrente na catraca e na coroa com certa dificuldade, porque a corrente ficou presa entre a catraca e o cubo. Um senhor que ia passando, também de bicicleta – mais velha que a minha, diga-se de passagem - ao me ver naquela luta, fez um dos comentários mais relevantes que já vi em minha vida toda; uma coisa realmente tocante que eu nunca vou esquecer:

- Caiu a corrente!

Na hora deu-me vontade de dizer-lhe ou esbofetear-lhe poucas e boas. Mas minha educação britânica não permite tal desfineza. Nada a fazer, dei apenas um risinho pensando: “Ô comentário de âncora!”

Os amigos a quem eu contei o fato não entenderam a piada do “comentário de âncora”, como provavelmente os leitores, em geral menos chatos do que eu. Explico-lhes, como a meus amigos.

Pense-se em sua sala. É a hora do jornal. Aquela notícia bombástica passando. A reportagem perfeita, as entrevistas bem editadas, a matéria deu todo o suporte para que fosse entendida a notícia. Aí acaba a reportagem, volta pro estúdio e o âncora do Jornal diz: “Interessante!”

Ora, meus senhores! Se a reportagem foi perfeita, esse “interessante” do âncora não interessa em nada! Não acrescenta nada! Pra que existe? E tenho percebido essa mania nos âncoras mais moderninhos que andam por aí pela TV. E não estou falando de TVs pequenas não. Jornais grandes, da Globo, da Record. Vejam se não concordam comigo. O Datena é chato. Mas pelo menos ele diz mais que uma frase depois da reportagem. Como a moda agora é jornalismo crítico, o povo acha que ser crítico é comentar a reportagem depois que ela acaba. E talvez seja. Mas com uma palavra!

Daí saírem dizendo por aí que todo comentário que não acrescenta nada ao fato, é como um comentário de âncora. E haja risinhos!


Fernando Lago Santos – 14 de Outubro de 2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?