10 de out de 2008

Poesia de Fernando Lago

SAMBA DA MEIA NOITE ou
COMO UMA LUVA

Você tem tudo aquilo que não tenho
E sabe tudo o que eu preciso ter
Me pede o que não tem e dar-te venho
E sabe me dizer o que fazer

Conhece o meu depois e o meu agora
Se sabes que te amo tanto assim
Por favor, imploro, não vá embora
Você cai como uma luva para mim.

Nós somos um pro outro com certeza
E deus te fez cruzar o meu caminho
Não posso me afastar de sua beleza
Que mesmo em multidão sinto sozinho

Eu não me acostumei com tua ausência
Te quero do meu lado eternamente
Minha vida te pertence em sua essência
Sou homem do teu amor dependente

Conhece o meu depois e o meu agora
Se sabe que te quero tanto assim,
Por favor não acabe nossa história
Você cai como uma luva para mim

Nós dois somos iguais à mão e à luva
A vida conspirou pra nos unir
Te amo e amor eterno te prometo
Há anos busco por um amor assim
Nós somos a caneta e o soneto
Você cai como uma luva para mim

Conhece o meu depois e o meu agora
Se sabe que te gosto tanto assim
Por favor, meu bem me dê a glória
De ouvir de tua boca um belo sim
Pois, meu bem, já sabe de memória
Você cai como uma luva para mim

02 - 01 - 2008

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?