10 de nov de 2008

Poesia de 2006 - sem título

Ama-me como se fosse o primeiro dia que nos vemos
Não como se fosse o último
A vida é mais animada
Se cada dia for o primeiro
A vida é maravilhosa
Se desenhada a cada dia
E se a cada dia
Nos derem uma folha em branco

Não fique a chorar
Imaginando que não mais nos veremos
A esperança é a última que morre
E ainda não morreu
E ainda não morremos

Sejamos perpétuos enquanto vivemos,
Porque quando morrermos não seremos mais perpétuos.
Sejamos felizes para sempre hoje
E amanhã recomecemos pelo era uma vez.

Não percamos tempo chorando
especulando o mal
Ganhemos tempo sorrindo
especulando o bem

Vivamos a cada dia
Como se fosse o primeiro.

(Fernando Lago Santos - 01 de Novembro de 2006)

Um comentário:

  1. Linda poesia meu caro, uma das que mais me identifiquei.

    Lembrei daquela frase:
    Tempus fugit, vita brevis, carpe diem!!!

    ***
    Fiquei impressionado com sua produção, a cada dia 2,3 posts...

    Tamu junto

    ResponderExcluir

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?