25 de abr de 2009

Abrangência

Mais que toda a dialética
Que todo processo de assimilação
Que toda fusão ou fissão nuclear
Acima de todas as placas tectônicas
Acima do posicionamento global
Do globo esférico-terrestre da terra
Dos mares azuis (brancos ou pretos)
De toda a explicação convincente
De todas as desculpas esfarrapadas
Mais que o processo de eleição
Mais que o impeachment de Fernando Collor
Que o golpe de 64
Mais que o AI 5
Mais que a metafísica dos velhos padres
Que o hardware e o software
Do que as pages e as home-pages
Acima de todas as regras de digitação
O asdf e jklç
De todas as leis do código penal
E os parágrafos da Constituição de 1988
E as três leis de Newton
E as leis convexas e côncavas de espelho
Mais que a monotonia das células
O circular nada eterno do sangue
Os leucócitos e os linfócitos
As hemácias e as acácias
Acima de toda a autonomia da anatomia
Está o poder do teu olhar
E o olhar de a ti sorrir
E o sorrir de te amar.

Fernando Lago – 09 de Março de 2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?