2 de abr de 2009

Poesia Não de amor

Poesia Não de amor

                               (Fernando Lago) 


A poesia que poeto agora

Infelizmente, devo dizer

Não vem de dentro pra fora

E, minha amada, não é pra você

 

Não é, pois não falo de amor

Meu bem, estas quadras não são

Compostas com todo fervor

Que existe em meu coração

 

Não é, pois não falo em paixão

Amor, me entenda, é favor

Compreenda, não faço menção

Que por ti tenho grande amor

 

Não digo eu nessa poesia

Que você é minha vida

Nem digo que não viveria

Se você se fosse em partida

 

Não digo que te amo tanto

Que não há mágoa ou pecado

Que diminua, portanto

O amor a você dedicado

 

Não digo, repito, não digo

Que seus belos olhos amenos

Num olhar doce e amigo

Me envolve em carinho sereno

 

Não, digo a poesia não fala

Que o meu coração é só seu

Que agora ele se cala

Mas no seu já se perdeu

 

Não digo a verdade, que é

Você a mais bela menina

Entre as outras, tenha fé

É bela como pedra fina

 

Não digo que toda você

Cabelos, olhos, coração

Fascina a todo o meu ser

Que inflama de amor e paixão

 

Não digo nada disso

E não pretendo dizer

E, sabe, não farei isso

Porque todo mundo no mundo

O milionário e o vagabundo

De Teixeira de Freitas a Passo Fundo

(E principalmente você)

Estão cansados de saber


                    (02 de Abril de 2009)


3 comentários:

  1. Oi Nando e ai blz?
    muito bom blog.
    visite o meu.
    ate mais.
    Paz e Bem.
    bj

    ResponderExcluir
  2. ops... entao da uma passadinha lá.
    Mone

    ResponderExcluir
  3. oi ve se vc consegue entrar por aki.
    mone

    ResponderExcluir

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?