18 de mar de 2010

Um retrozinho ae...

Advertêcia:

Há já algum tempo que busco uma poesia meio antiga para fazer uma postagem meio retrô. Justifica-se assim, esta que segue. Mentira! Na verdade eu não tenho nada pra postar, tava passeando nos meus documentos e acabei achando essa, datada de pouco menos de um ano, que dizia algo que ainda vale, tanto para as mesmas circunstâncias da época como para outras novas que surgiram. Não costumo escrever por demanda, por isso não esperem de mim respostas a tudo o que me é perguntado e nem poesias de cunho "propagandiário", a não ser que eu queira mesmo fazê-lo. Não quero transformar o meu blog num panfletão destes que atacam defendendo e defendem atacando, em pelejas de cunho pessoal e sem o menor sentido; mas há momentos que só calar não resolve. Bom, não estou me fazendo entender, como sempre. Mas não há nada que entender! Fiquem apenas com a poesia. Adianto, ainda que estou preparando uma postagem. Esta, talvez, será uma das poucas que virá por uma demanda, porque são tantas as dúvidas sobre mim (dúvidas minhas, inclusive) que ela falará justamente sobre mim. Espero conseguir escrevê-la. Enfim, à poesia!


Não chores


Querida

Não chores assim

Queres que eu pense mal de mim?

Querida, eu sou teu amigo!

Queres que eu fique de mal comigo?


Se o amor bater na porta

E limpar-me das tristezas

Que eu carrego nas costas

Deixo com gratidão

E uma sincera presteza

Cuidares do meu coração


Mas assim,

Posso não!


Por favor, meu bem, não chores!

Espero que não ignores

O meu passado de dores

Por favor, meu ser implora

Este processo demora

‘Stou imune a amores


Me falta a inteligência

Falta-me sensibilidade

Eu quero sua amizade

Mas me rendo facilmente

A amores de outras moças


Não há pra mim indulgência

Meu coração é injusto

Com ele eu mesmo me assusto

Uma mania inerente

A uma alma que se esboça


Fernando Lago Santos – 20 de junho de 2009

3 comentários:

  1. Oi Nando. blz?
    Entao nesse tempo q venho acompanhando essa sua " vida virtual", seguindo seu blog,vendo seu twitter/ forming.ge e falando uma vez a cada um ano com vc no MSN kk ...e tal percebir que, como vc falou nesse post. " não esperem de mim respostas a tudo o que me é perguntado e nem poesias de cunho "propagandiário", a não ser que eu queira mesmo fazê-lo."

    Num sei o pq disso ... mais tem coisas nessa vida q n precisamos entender ne???!!???

    Mas em meio a suas verdades ou não verdades..rs eu adoro lê o q vc escreve, inclusive essa poesia ta linda demais... e se eu n me engano tem verdade nisso rsrs brincadeira..

    Bjinhos Nando.

    ResponderExcluir
  2. Como Simone disse, o seu formspring.me é muito criativo! Ele tem vida rs. Esses dias passei por lá. Muito cômico.
    Bacana o post retrô...
    Tenho quase nada guardado.

    ResponderExcluir
  3. Simone e Rose

    Meu formspring é o tipo de coisa que não se deve levar a sério quase nunca.
    É justamente o que eu quis dizer aqui. O artista é senhor de sua arte, na maioria das vezes. É ele quem vai deinir se rimará A com B, B com C ou se não vai fazer rima alguma. Para isso, obvio, tem que ter técnica.
    Nos desenhos, por exemplo, eu desenho feio porque não tenho a menor técnica para desenhar. Mas há artistas que têm técnica e ainda assim escolhe desenhar "feio" (o que também depende do ponto de vista) para negar padrões, politizar, ideologizar, etc, etc, etc.

    Muito obrigado pelo comentário.

    Voltem sempre!

    ResponderExcluir

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?