18 de jan de 2012

Mais um ano



Publicado no Jornal Independente


Acordou meio desorientado, tonto, cabeça doendo, ressaca braba... Mais um ano. Levantou-se, dirigiu-se ao banheiro do quarto e contemplou o conhecido rosto que aturava havia décadas. Mais um ano.

“O que você mudaria em si mesmo?”

Pergunta idiota de um quiz idiota que umas meninas idiotas inventaram de fazer na festa idiota da noite anterior, só pra passar o tempo, enquanto esperavam a meia noite. Mais da metade da turma já estava da bêbada, incluindo ele. Era isso que fazia todo fim de ano. Embebedava-se. Havia tempos não tinha ânimo para ver o ano passar. “Os anos é que me veem passando” troçava com os amigos.

Aceitava convite para qualquer festa. Dessa vez foi uma das sobrinhas da dona Chiquita, vizinha de reputação duvidosa, que lhe convidou. Festa da alta, muitas meninas bonitas e bebida liberada. Todas as ferramentas que ele precisava para virar o ano, fenômeno raro que se repetia a cada trezentos e sessenta e cinco dias.

“E você, gatão! O que mudaria em si mesmo? Todo mundo respondeu, só falta você.”

O que mudaria em si mesmo? Tudo, talvez. Mas advertiram que “tudo” não valia. Tinha que ser uma coisa só, específica. Talvez o nariz torto... Não, gostava do nariz torto, ninguém tinha um nariz daquele jeito e ele se sentia especial por isso. Os pés... Os olhos... Sim, gostava de olhos verdes e os deles eram pretos, mas não era motivo pra querer muda-los...

“Não dá, minhas lindas. Em mim ou é tudo ou nada.”

“Então defina tudo.”

E teve que dizer um “sei lá”... Sentiu-se humilhado. Não pelas meninas, nem pelos caras que assistiam quase rindo, mas por si mesmo. Percebeu que sabia muito pouco de si e que sequer se conhecia o bastante para querer mudar ou manter alguma coisa.

“Vamos para a próxima pergunta?”

Impacientou-se, pegou uma garrafa de vodka e foi sentar-se a um canto sozinho. Faltava pouco para meia-noite. Mal sentou ouviu os estouros dos fogos lá fora, os gritos cá dentro e sentiu os longos goles da bebida descendo... Mas a pergunta, o diabo da pergunta é que não descia... O que mudaria? Aliás, o que mudaria agora com a mudança de ano? Talvez nada, além dos calendários da parede...

Janeiro de 2012

3 comentários:

  1. Neste mergulho que faço, acho que não mudaria nada em mim... apenas viveria a vida aproveitando melhor as oportunidades de ser melhor.

    Visita-me? Hoje meu blog completa 1 ano.

    Agradeço, se puder. Um bjo e uma feliz semana!

    ResponderExcluir
  2. Ah, o novo ano e as reflexões intimistas! Gostei daqui. Hei de mergulhar vez ou outra. Beijo. :)

    ResponderExcluir
  3. Fernando...

    O melhor texto relativo a fim de ano que li nessa temporada.

    Sem duvida...

    Cativante do inicio ao fim.

    Parabens!

    ResponderExcluir

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?