18 de out de 2008

Texto Original da Fala da Imprensa

A vida nos palcos é surpreendente. Sabem disso todos os artistas, teatrólogos, cantores e afins. Quando nós (o clube do bolinha da Uneb) mostramos a cara para apresentar aquela sucintíssima (ou lacônica, como diz o companheiiro Pericles) peça sobre a obra de Paulo Freire, tinhamos um pequeno texto em mente, que no entanto, não foi apresentado em seu contexto original devido a alguns fatores imprevistos, mas previsíveis. Tomo a ousadia de publicar aqui, uma vez já apresentada a peça, que integravca a apresentação de um seminário de Didática, esse tal texto, no contexto que o idealizamos.

Fala da Imprensa

(Um defensor das idéias de Freire entra e começa a falar aos circunstantes:

- Companheiros,

Paulo Freire em sua obra vem nos pregar o quão é importante que leiamos o mundo, e que a leitura não é apenas codificação de palavras. A leitura do mundo precede a leitura da palavra!

Ora, meus amigos! A educação é um ato político. Não há educação neutra, como dizem os aloprados que só querem ver os interesses do capital reproduzidos através da escola.  A educação, nos diz Freire, nunca foi nem será neutra. Para os interesses dominantes o neutro é a reprodução dos interesses capitalistas, sem que se permita uma visão da historicidade do real. Isso lá é neutro, meus caros amigos? Esse progressismo às metades da educação formal do capital, exigido de quando em vez pela conjuntura, e que é na verdade uma ressalva apenas ao progresso tecnológico, sempre ressaltando que é importante para economia e coisa e tal... Daí eles dizem que os progressos, a imprensa, a cultura, etc Devem se dar de maneira neutra, quando na verdade estão simplesmente reproduzindo os interesses do capitalismo

Ensinar não é transferir conhecimento; é criar as possibilidades para a sua produção ou a sua construção. Não há docência sem discencia, a discência do próprio professor o leva à docência, mas ensinar exige rigoroso metódo, não deixando escapar nenhum detalhe em seus discentes, e deve despertar no educando a curiosidade e capacidade crítica, ensinar exige pesquisa, não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino. Ensinar exige respeito aos educandos, exige criticidade, deixar de ser ingênuo e passar a ser crítico, mas no sentido de ser curioso, seja em forma de pergunta ou não isto gera o fenômeno da aprendizagem, tudo isto acompanhado da ética e da estética porque ética e beleza andam sempre de mão dadas, ensinar exige dar vida às palavras pelo exemplo, o professor que não consegue traduzir aquilo que diz em exemplos práticos, de nada serve o que ele fala, saber quer dizer segurança no que diz. Ensinar exige risco, aceitação do novo e rejeição a qualquer forma de discriminação, exige o reconhecimento e a assunção da identidade cultural, exige consciência de que nunca esta acabado e sim que tudo recomeça, exige o reconhecimento de ser condicionado, exige respeito à autonomia, exige bom senso, exige humildade, tolerância e luta em defesa dos direitos dos educadores, exige entender a realidade e não ficar alheio a ela, exige a convicção de que a mudança é possível, exige segurança, competência profissional e generosidade, exige compreender que a educação é uma forma de intervenção no mundo, exige liberdade e autoridade, exige tomada consciente de decisões, e saber escutar que é muito importante e ser aberto ao diálogo, exige reconhecer que a educação é ideológica, exige querer bem aos educandos, e por fim exige alegria e esperança, nos homens que fazem as leis deste pais e na instituição família que apesar de tudo continua sendo um porto seguro para aqueles que não entendem e não aceitam as violências praticadas por quem tem o poder o conseqüentemente a força.

 SOLDADO 1: Comunista! Como ousas empregar tais falácias aqui?

 FREIREANO: O que ouvistes foi verdade!

 SOLDADO 2: És um arcano! Um esquerdista que não tens o menor senso crítico!

 FREIREANO: Que é senso crítico? Aceitar as ordens do capitalismo? Viver sob os mandos e desmandos do mercado estrangeiro? Educar segundo um preceito consumista de vida? Paulo Freire nos ensina que...

SOLDADO 1: Freire??? Aquilo é um velho arcano e ignorante! Um Esquerdista maquiavélico que usava de terrorismo ideológico para doutrinar pessoas...

 FREIREANO: Mas afinal, um arcano? Ou um terrorista maquiavélico?

 SOLDADO 2: Um arcano maquiavélico e ignorante! Cabem nele todas as descrições. Em nada contribui para a sociedade ocidental.

 FREIREANO: Isso lá é defeito? Contribuir para essa sociedade capitalista ocidental! Acho que não queríamos isso mesmo...

 SOLDADO 1: Não contribuiu em nada para a educação! Nem se quer realizou um trabalho efetivo para nosso país!

 FREIREANO: Claro! Foi exilado e teve de ciscar em outro terreiro! Tornou conhecido o “The Paulo Freire’s Method”... Mas alguém aí já ouviu falar em The Mobral’s Method, ou algo parecido?

 SOLDADOS: Sua ignorância me leva aos nervos! Chega de argumento! Serás exilado, esquerdista ignorante! O esquerdismo só serve pra preencher buraco de quem é vazio de teoria... A educação no Brasil não vai para frente porque todos os professores são esquerdistas! As escolas só estão formando marxistas. E esse ensino de esquerda vai acabar!

 (saem levando o Professor)


Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Pode se jogar, mas não esqueça a sua bóia, viu?